O ambiente de uma cafeteria faz toda diferença para uma conversa. Uma boa luz, um bom cardápio e um espaço tranquilo para conversar, trabalhar e botar a cabeça no lugar é fundamental para toda cidade. Nesse sentido, vou listar 6 cafeterias em São Gonçalo para você visitar.

Bistrô D’Avó

Esse é um dos lugares mais lindos de São Gonçalo. Já fui para trabalhar, para flertar, pra bater papo, para descansar e o atendimento é maravilhoso. A dona do Bistrô é a Jandira e ela é um amor de pessoa que vai te dar uma atenção especial que você nunca teve dentro de um empreendimento nessa cidade. O endereço é Rua Eduardo Vieira de Souza, n° 122 – Centro.

Justo Café

Sabe aquela cafeteria que não perde em nada para as referências cariocas do mesmo segmento? Essa é a Justo Café. Preços justos, ambiente extremamente agradável e um ótimo lugar para fechar um bom negócio ou pedir a consagrada em namoro. O atendimento é maravilhoso também. O endereço é Estr. dos Menezes, 850 – Loja 110 – Alcântara.

Bellajoe Cafeteria

A Bellajoe tem um conceito bastante moderno de cafeteria. Fui algumas vezes e me surpreendi com o cardápio que possui alguns itens que eu nunca comi. O ponto alto da cafeteria, na minha opinião, é o restaurante próprio (Bellajoe Restaurante) e a proximidade com o centro econômico da cidade. O endereço é Rua Salvatori – nº61 – Centro.

Bookafé

Falo para meus amigos que essa é um cafeteria raiz. Atendimento rápido, educado e com muita proximidade. Além disso, tem uma comida barata, gostosa e que me dá a sensação de estar tomando café na casa da minha avó. A bookafé é a cafeteria que gosto de ir quando estou com pressa. O endereço é R. Simeão Custódio, nº28 – Centro.

Café do Feirante

Sabe o primeiro amor? Essa foi a cafeteria que me apresentou o universo do café aqui em São Gonçalo. Os primeiros meses acabaram com todo o meu dinheiro de tanto que fui para tomar chocolate quente com bolo de chocolate. Ela é, depois da minha paixão que é a Cervejaria Dois Lados, o melhor cantinho do Partage. Fica no Partage Shopping.

Delícia Café

Fui poucas vezes na Delícia Café, mas acho um lugar bastante agradável para sentar e bater papo. Longe da praça de alimentação e da barulheira de um shopping, ela é uma boa alternativa para quem vai ao Shopping São Gonçalo e quer comer algo e beber um café. Fica no São Gonçalo Shopping.

Se rolasse uma refundação da cidade de São Gonçalo, nosso símbolo seria uma bisnaga de maionese temperada. Teríamos bisnagas verdes, amarelas, roxas com orégano e avermelhadas com pimenta na bandeira.

Já rodei muitos estados, mas a melhor maionese temperada do país deve ser a nossa. Espalhadas pelos centros gastronômicos das praças e dos bastidores da falta de luz, todo ponto de x-tudo tem um sabor único. Uns mais gordurosos, outros mais gourmet, outros que nem gosto de maionese tem, mas todos são parte fundamental do podrão do final do dia.

Pode parecer bobeira, mas a maionese temperada é uma das dimensões da sustentação econômica da cidade. Ao mesmo tempo que a economia do país e da cidade vão se pulverizando por conta de toda uma conjuntura política instável no Brasil, esse tipo de especiaria, aliado ao mercado de consumo de alimentos de rua, é um mecanismo importante para a vida econômica local.

Tenho certeza que quando você vai escolher o local para comer leva em consideração a maionese temperada. Lembra do lanche, dos acompanhamentos e vê, se no final, o tempero te ganha.

E pra você? Qual é a melhor maionese temperada da cidade?

Pela primeira vez na minha vida tirei férias no final do ano e fiz isso em Maricá. Andei de bicicleta quase sempre em ciclovias. Fui em Araçatiba, na Orla Zé Garoto ali no Boqueirão, em Cordeirinho e Barra de Maricá. Visitei uma obra de praça em Itapeba e aproveitei bastante a cidade. Uma coisa que me impressionou em tudo foi o uso da orla para gerar polos econômicos e espaços para encontros públicos.

Não sou um maluco como muitos são de comparar a economia, a população e a geografia de Maricá com São Gonçalo. Maricá tem mais orla que São Gonçalo, tem menos habitantes que São Gonçalo e tem muito mais dinheiro que São Gonçalo. Isso não quer dizer que a gestão de Maricá não mereça elogios, pelo contrário, merece muitos.

Grandes transformações dependem de pequenas transformações.

Nunca tive a expectativa de que São Gonçalo passaria por um processo de transformação intenso em curto prazo, mas as pequenas experiências e os exemplos pontuais podem ser feitos e teriam um impacto significativo. Veja o exemplo da orla da Praia das Pedrinhas.

Fiz um traço reto no mapa da Praia das Pedrinhas e são quase 700 metros de orla. Existem algumas construções irregulares (muito irregulares) ocupando a faixa de areia, a sujeira do chão é atualizada constantemente, os esgotos são jogados direto na água, mas temos ali uma orla com uma vista linda para a Baía de Guanabara.

Trago esse exemplo pois mesmo com todos os defeitos, a orla da Praia das Pedrinhas é muito melhor que a orla de qualquer parte das orlas da lagoa de Maricá antes dos royalties. Nossa vista é melhor, nossa infraestrutura é melhor que o passado de Maricá, nosso acesso (mesmo sendo ruim) é melhor que o passado de Maricá e nossa orla da Praia das Pedrinhas é infinitamente menor que a orla da lagoa de Maricá.

E o que fazer sem inventar a roda?

Vários prefeitos já tiveram iniciativas interessantes para a Praia das Pedrinhas que combinadas poderiam transformar aquele lugar. Se a organização fundiária da orla focando em comércios da gestão do Ezequiel fosse a frente, Se o mercado de peixe da gestão da Aparecida Panisset fosse a frente, se a internet gratuita da gestão Neílton fosse a frente, se a quadra poliesportiva financiada pela caixa da gestão Nanci for a frente já teríamos um começo.

A primeira etapa não é de tanto dinheiro, mas é de relacionamento. É aproximar o SEBRAE e a Rota Gastronômica para a Praia no sentido de melhorar a qualidade do atendimento dos bares, é conversar com o Governo Federal para abrir uma saída (100 metros de asfalto e sinalização) da Br direto para a orla na altura do Shopping (sentido Niterói), é de chamar os pescadores para saber como dinamizar o trabalho de venda de peixes e melhorar a iluminação, limpeza e sinalização da praia.

Depois disso que a gente pensa em obra, em investimento maior, mas é preciso começar por algum lugar e com o pé no chão. Começar a pensar em alternativas para não deixar carro passar nos finais de semana privilegiando o pedestre e as cadeiras para ampliar as vendas, voltar com a internet para as pessoas fazerem um check-in, postar fotos e divulgar o lugar espontaneamente podendo criar uma relação de pesquisas para acessar o wi-fi, etc. Tudo isso em médio prazo, sem pressa, mas com planejamento e cronograma.

Fica o aprendizado.

Nós precisamos saber o tamanho da nossa cidade, saber o quanto de dinheiro nós temos e entender que não teremos uma mudança rápida em qualquer área no curto prazo. São Gonçalo não é Maricá, nossa economia não é a de Maricá e temos que criar nosso projeto de cidade respeitando nosso tamanho, mas olhando as boas experiências que deram certo.